quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Rho Ophiuchi, Pata do Gato e Lagosta em fotos com a lente de 135mm

Wide Field Rho Ophiuchi
Uberlãndia - MG - 10 de Setembro de 2012
Exposição 30x60 segundos ISO 800
Canon T2i modificada - Lente 135mm F2.5 - EQ-1 Motorizada
Empilhamento Deep Sky Stacker 3.3.3 Beta 45 (+10 darks)
Pós-Processamento - Photo Shop CS4

Deixo hoje mais duas fotos muito interessantes feitas na chácara durante o feriado de sete de setembro.

A primeira é da nebulosa Rho Ophiuchi. Essa não é uma boa foto para mim. O maior problema foi a poluição luminosa no momento da captação. Rho Ophiuchi só se encontra numa boa altura no céu até lá pelas dez na noite e no horário em que a captação foi feita, as luzes da varanda da chácara estavam todas acesas. Meus pais deixam as luzes da varanda ligadas por que se eles apagarem a varanda, os insetos vão querer entrar dentro da casa, atraídos pelas luzes dos cómodos internos. Com a varanda acesa os insetos ficam por lá. As luzes da varanda só são apagadas depois que todos vão dormir e apagam as luzes de dentro da casa. Normalmente esse é o melhor horário para astrofotografar.

Mas eu estava doido para fotografar Rho Ophiuchi, pois estava com uma lente de 135mm emprestada pelo Sandro Rosa, presidente do CASB. Essa lente é ideal para fotografar esta nebulosa. Então fiz a imagem com as luzes da chácara acesas mesmo.

Apesar da foto não ter ficado tão boa, recebi muitos comentários e elogios por ela. Mas esse é o caso em que é o modelo que é muito bonito. Rho Ophiuchi é certamente o objeto mais bonito para se fotografar com uma lente de 135mm. Vale lembrar que fotografar esse objeto com um telescópio não é recomendável. Na verdade existem inúmeros objetos que ficam muito melhor em lentes entre 100 e 200mm do que em telescópios, como as nebulosas America do Norte, Califórnia, Pelicano, Saco de Carvão, Cachimbo, as Núvens de Magalhães, entre outros.

Eu gostei demais da lente de 135mm do Sandro Rosa, mas acho que vou optar para comprar uma de 200mm para mim, que é praticamente um pequeno telescópio. Daí vou ficar com três distâncias focais para minhas fotos de céu profundo. 710mmF7 do telescópio. 200mmF2.8 e 50mmF1.8 das lentes. Repare como a relação abertura/distância focal das lentes é menor do que a do telescópio. Isso quer dizer que as lentes exigem um tempo de exposição muito menor.

Sobre a Eq-1, devo dizer que como setup de viagem, fiquei extremamente satisfeito com ela. Tenho muita vontade de viajar para o Chile apenas para fazer astrofotos e acho fantástico saber que agora tenho um setup excelente que posso levar no avião sem fazer malabarismos. Mas devo dizer que não se compara com a CG-5, que é muito mais estável e precisa. O que mais me incomodou na EQ-1 e que ela é muito curta, por isso, quando você coloca o motor, o contra-peso e o motor se batem quando você desce a câmera. Hoje, eu recomendaria a Eq-2, que é mais comprida e ligeiramente mais robusta.

Também fotografei as Nebulosas Pata do Gato e Lagosta. É legal ver as duas nebulosas na mesma fot, que mostra como estão próximas no céu. Mas repare que as duas também caberiam muito bem numa lente de 200mm, tal como Trífida e lagoa.


Wide Field Pata do Gato e Lagosta
Uberlãndia - MG - 10 de Setembro de 2012

Exposição 30x45 segundos ISO 800
Canon T2i modificada - Lente 135mm F2.5 - EQ-1 Motorizada
Empilhamento Deep Sky Stacker 3.3.3 Beta 45 (+10 darks)
Pós-Processamento - Photo Shop CS4



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu tenho me esforçado para responder todos os comentários, mas posso demorar um pouco, ou mesmo esquecer algum. Por isso, peço paciência e não fiquem constrangidos de me darem um toque, caso eu esteja demorando demais.