quarta-feira, 15 de março de 2017

A Libração Lunar: A face de nosso satélite não é tão parada como parece.

A Cratera Humboldt, registrada em dois momentos diferentes, mostrando como a Libração Lunar causa mudanças nos aspectos das formações Lunares vistas da Terra. Imagem feita com telescópio refletor de 200mm F4.5, extensor focal 5x e câmera Expanse Monocromática.



Talvez uma das coisas que mais chateie quem quer observar ou fotografar a Lua é o fato de que ela está sempre com a mesma face virada para a Terra. Ao contrário dos planetas, que apresentam rotação visível, principalmente Júpiter e Marte, a Lua está sempre com o mesmo lado virado para nós. Isso faz com que o outro lado permaneça oculto para observadores da Terra. As primeiras imagens do lado da Lua oposto à Terra, chamado de Lado Oculto da Lua, só foram feitas quando a sonda soviética Luna 3 sobrevoou nosso satélite natural, em 1959.

Então, como está presa a Terra, com a mesma face sempre voltada para nós, as formações lunares nunca se alteram? Não é bem assim. Na verdade a Lua não chega a estar totalmente presa à Terra. A Face virada para nós não é totalmente estática. Nosso satélite faz um bamboleio, que nos permite ver um pouco do que está na face oculta. Os efeitos deste movimento são percebidos principalmente em objetos próximos à borda do círculo lunar, chamado de limbo. Crateras mudam de forma, montanhas aparecem e desaparecem, proporcionando um espetáculo para astrônomos e astrofotógrafos mais atentos.

Curiosamente, os efeitos causados pela libração lunar são mais visíveis durante a Lua Cheia, período que a maioria não considera propício para fotografia lunar, já que não temos o contraste causado pela diferença entre o lado iluminado pelo Sol e o lado escuro da Lua. Mas na Lua cheia, se observarmos as bordas da Lua, vamos encontrar as crateras próximas ao limbo apresentando grande contraste, tornando-se um período propício para registros como o que vemos no alto deste post.

Esta gif, retirada da Wikipedia mostra como a Libração altera a posição da face iluminada da Lua em relação a Terra durante o período de um mês.

2 comentários:

  1. Show Rodrigo...
    Você sempre mostrando coisas interessantes onde poucos se aventuram e você sabe muito bem tirar proveito disso. Belo registro, e ótima explicação.

    O livro... ahhh finalmente héin.

    Que maravilha, eu sou apenas mais um entre tantos que estão ansiosos, com certeza. Será muito bem vindo, obrigado.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Eldio. Sim, finalmente está chegando a hora. Daqui uns dias publico um posto com todos os detalhes da publicação.

      Excluir

Eu tenho me esforçado para responder todos os comentários, mas posso demorar um pouco, ou mesmo esquecer algum. Por isso, peço paciência e não fiquem constrangidos de me darem um toque, caso eu esteja demorando demais.
Atenção: comentários que atentem contra direitos autorais não serão aprovado.